Criatividade e capacitação — a receita de sucesso da Chefn’Boss

Criatividade e capacitação — a receita de sucesso da Chefn’Boss

O criativo, o diferente e o inusitado; estes são alguns dos adjetivos mais apropriados para apresentar nosso produtor do mês, a marca de molhos Chefn’Boss.

Os sócios Carol Boss, que inspirou o nome da marca; Adriana Horst e Kiki Ferrari, nos receberam para uma entrevista no recém inaugurado restaurante Svärten Mugg Taverna, que tem cardápio assinado por Kiki, a mente criativa responsável pelos incríveis sabores dos molhos.

De geléia que deu errado ao sucesso dos molhos engarrafados

Depois de um Natal apertado financeiramente, o casal Kiki e Carol, decidiu presentear amigos e familiares com potes de um molho que fizeram: “Fiz uma geleia de pimenta que deu errado, achei que estava faltando alguma coisa, foi então que pedi ao Kiki que consertasse”, diz Carol.

O sucesso do presente foi tanto, que eles identificaram uma oportunidade de negócio, e ai começaram testes para criação de novos sabores.

Carol, que trabalha na área comercial e Kiki que é chef de cozinha são “molheiros oficiais”, do tipo que gostam de comida molhada. Mas para criar a Chef’n Boss, tiveram que se profissionalizar. “No início, produzíamos três dias da semana e nos outros dois fazíamos entrega. Envasar é diferente de apenas produzir, temos que pensar nas possíveis alterações que o produto pode sofrer, como transporte e luz do sol. Quando começamos a vender para as lojas não tínhamos coisas importantes como tabela nutricional e código de barra, vimos nisso um dificultador,foi na raça”, explica Carol.

Na Feira Experimente desde a segunda edição, a marca ainda continua com uma produção artesanal mesmo que atualmente tenham uma escala quase industrial. Carol explica que os produtos são feitos com ingredientes verdadeiros, que eles compram a pimenta biquinho para transformá-la em molho, compram o gengibre que tem que ser descascado.
Um dos diferenciais que trazem para a Feira Experimente é a troca das garrafas dos molhos por 10% de desconto em uma nova compra.

Criatividade também para assistir e harmonizar

A mente criativa de Kiki Ferrari é uma oficina de ideias, um exemplo é o personagem que estampa as garrafas dos molhos, uma criação do próprio chef. A partir de uma dessas ideias foi que surgiu o Mistura Brava, o canal do YouTube feito em parceria com a produtora Hidrante Filmes.

Sob o slogan “Rango, Breja e Barulho”, a cada episódio Kiki compartilha receitas inusitadas, bem ao estilo “comida ogra”, harmonizadas com cervejas artesanais e, porque não, com uma trilha sonora mais que apropriada. A terceira temporada já está sendo produzida e será lançada em breve no canal do Youtube.

Uma fusão de sabores e negócios — Chef na Swärten Mugg Taverna

Preparações feitas através de fusões é a principal característica da cozinha de Kiki Ferrari, qualidade notável nos molhos da marca, a exemplo do tradicional Barbecue que ganha toques de mineiridade com a adição da pimenta biquinho e cachaça.

Para desenvolver o cardápio do pub viking Svärten Mugg, Kiki Ferrari estudou a proposta e realizou testes até chegar no resultado final, que consiste em recriar receitas da cozinha escandinava utilizando ingredientes diferentes e inusitados. Um exemplo é o salmão curado que, assim como na receita original, fica horas imerso numa cama de sal.

Desde a sua criação até hoje, a Chef’n Boss cresceu 1200%, contratou quatro funcionários e está em nove estados brasileiros. Acompanhe um pouquinho desse sucesso com o papo que batemos com a Carol:

Experimente: Depois de criar a Chef’n Boss, como vocês procuraram se capacitar?

Buscamos órgãos competentes para nos ajudar, entramos para o Origem Minas do Sebrae. Lá desenvolvemos toda a comunicação da marca, foi importante para tomar forma, saber como se posicionar no mercado e não ser mais um na gôndola. Hoje, a maioria das lojas parceiras não trabalham por causa do preço, quem vende é porque gosta da marca e sabe que o sabor é diferente.

Experimente: São quantos pontos de venda?

Em MG são 170 pontos de venda, fora do estado estamos em grandes pontos, em SP , no Eataly e no RJ na rede HortiFrut. Mas, na verdade, damos muito valor aos pequenos, gostamos de tratar diretamente com os donos.

Experimente: Como surgem as receitas inusitadas de vocês?

Brinco que começamos pelo caminho mais difícil, fazer molhos em Minas e de sabores agridoce. Fomos na contramão e podia dar errado, mas se deu certo aqui poderia dar em qualquer lugar. Trabalhamos com produtores locais, uma moça do interior que produz a pimenta biquinho, outro produtor que faz o melaço de cana. O ideal seria trabalhar com todos os produtos orgânicos, ainda não conseguimos por uma questão de produção, espero que daqui um ano, possamos colocar no rótulo que o nosso produto é 100% orgânico.

Experimente: Quais são os planos para o futuro da Chef’n Boss?
O grande objetivo para este ano é a exportação, fizemos um curso de um ano sobre exportação junto a Fiemg. Não há crescimento, se não há estudo e se não há mudança, o empreendedor tem que ser muito dinâmico.
Também temos em mente a criação de uma linha foodservice, para atender lanchonetes.
Mas para ter esse crescimento tivemos que nos estruturar, contratar outras pessoas e desenvolver aspectos que a gente mesmo não conhecia, como a questão do empreendedorismo.
O Kiki é o grande criador, ele tem que estar na cozinha criando. Tenho um sonho de na próxima fábrica ter um espaço onde vai ser o lugar do cientista maluco, onde ele poderá desenvolver tudo, ele tem muita criatividade, temos muitos sabores ficando prontos e um extenso caderno guardado no cofre. (Risos)

Experimente: Estes novos sabores estão em teste?

Não, já pronto! Estamos preparados para um sabor entrar em desuso, sabemos que o paladar das pessoas está mudando e nós estamos em constante mudança, não podemos ficar estagnados, o Chef’n Boss não será só esses seis molhos.

Experimente: Como é a experiência de feiras?

As feiras são muito importantes, no ano passado fomos em mais de 30 feiras, Fartura, Aproxima, Internacional do Café, Super Minas, estávamos em todas!

As feiras ajudam na relação com o público que conhece ou reconhece a marca. Quem vê pela primeira vez tem a oportunidade de experimentar os sabores inusitados, não é nem pela compra, é pela experiência.

Experimente: Vocês já chegaram a pensar em produzir em parcerias com outros produtores?

Sim, temos vários projetos, quando vamos ao Experimente voltamos cheios de ideias de desenvolver um produto novo. Já pensamos em deixar o queijo curar nos nossos molhos, já pensamos em fazer algo com a Talita da Alento, já pensamos em usar o Café das Amoras, dá pra fazer molho usando malte de alguma cervejaria, estamos esperando finalizar esses testes com calma.

Na edição de maio eles lançarão um novo molho, com uma nova garrafa, exclusivo para o Dia dos Pais. Não perca a chance de experimentar essa e muitas outras delícias!

Comments are closed.